0

A CARTA DE PERO VAZ DE CAMINHA

Posted by admin on jun 28, 2011 in + BRASIL, + HISTÓRIA, + INFANTO-JUVENIL, + LITERATURA, - BRASILEIRA

DISPONÍVEL

Livro com adaptações e atividades de ADRIANA TORRES & ANDRÉ PEREIRA.

Esta obra é uma adaptação da Carta de Pero Vaz de Caminha para estudantes do Ensino Fundamental. Com ela, o leitor terá a oportunidade de entrar em contato com o mais conhecido documento sobre o descobrimento do Brasil.

Como lazer ou como material didático de apoio, o texto, as ilustrações e as atividades presentes nesta obra oferecem informações e possibilitam uma ampla reflexão.

Editora AO LIVRO TÉCNICO.

23 páginas.

Tags:, ,

 
0

REBELIÃO ESCRAVA NO BRASIL – LEVANTE DOS MALÊS (1835)

Posted by admin on fev 24, 2011 in + BRASIL, + HISTÓRIA

DISPONÍVEL

Livro de JOÃO JOSÉ REIS.

A história da revolta dos negros muçulmanos que, na Bahia do século XIX, pretendiam abolir a escravidão africana. A imbricação entre religião e identidade étnica é o argumento central do livro, um clássico sobre os estudos da história dos negros no Brasil, publicado originalmente em 1986. Reedição revista e ampliada, com cerca de oitenta imagens de época.

Editora BRASILIENSE.

293 páginas.

Tags:, , , , ,

 
0

1968 – O ANO QUE NÃO TERMINOU

Posted by admin on fev 18, 2011 in + BRASIL, + COMPORTAMENTO, + LITERATURA, + POLÍTICA, - BRASILEIRA

DISPONÍVEL

Livro de ZUENIR VENTURA.

Fascinante reconstituição dos acontecimentos de 1968 no âmbito do país. Os heróis dessa geração que queriam virar o mundo pelo avesso, seus dramas e paixões, suas lutas e vitórias estão descritos neste relato fundamental para a compreensão do Brasil contemporâneo.

Editora NOVA FRONTEIRA.

314 páginas.

Tags:,

 
0

1822

Posted by admin on fev 2, 2011 in + BRASIL, + HISTÓRIA

DISPONÍVEL

Livro de LAURENTINO GOMES.

Quem observasse o Brasil em 1822 teria razões de sobra para duvidar de sua viabilidade como nação independente e soberana. De cada três brasileiros, dois eram escravos, negros forros, mulatos, índios ou mestiços. Era uma população pobre e carente de tudo, que vivia à margem de qualquer oportunidade em uma economia agrária e rudimentar, dominada pelo latifúndio e pelo tráfico negreiro. O medo de uma rebelião dos cativos tirava o sono da minoria branca. O analfabetismo era geral. De cada dez pessoas, só uma sabia ler e escrever. Os ricos eram poucos e, com raras exceções, ignorantes. O isolamento e as rivalidades entre as diversas províncias prenunciavam uma guerra civil, que poderia resultar na fragmentação territorial, a exemplo do que já ocorria nas colônias espanholas vizinhas. Para piorar a situação, ao voltar para Portugal, no ano anterior, o rei D. João VI, havia raspado os cofres nacionais. O novo país nascia falido. Faltavam dinheiro, soldados, navios, armas ou munição para sustentar uma guerra contra os portugueses, que se prenunciava longa e sangrenta. As perspectivas de fracasso, portanto, pareciam bem maiores do que as de sucesso. Nesta nova obra, o escritor Laurentino Gomes mostra como o Brasil, que tinha tudo para dar errado, deu certo em 1822 por uma notável combinação de sorte, improvisação, acasos e também de sabedoria das lideranças responsáveis pela condução dos destinos do novo país, naquele momento de grandes sonhos e muitos perigos.

Editora NOVA FRONTEIRA.

328 páginas.

Tags:,

 
0

NÁUFRAGOS, TRAFICANTES E DEGREGADOS

Posted by admin on jan 17, 2011 in + AMÉRICA LATINA, + BRASIL, + HISTÓRIA

DISPONÍVEL

Livro de EDUARDO BUENO.

‘Náufragos, traficantes e degredados’, de Eduardo Bueno, revela, com dramaticidade e riqueza de detalhes, um dos períodos mais empolgantes, porém menos abordados, da nossa história – as primeiras expedições ao Brasil, que ocorreram em seguida à descoberta, de 1500 a 1531. Eduardo Bueno fez uma pesquisa minuciosa em documentos de época, como os diários de bordo, relatos de viagem e fragmentos de cartas, para reconstituir, com precisão e vivacidade, a incrível saga enfrentada pelos primeiros homens brancos que viveram no país. Os que vieram parar nas praias brasileiras pelo acaso de um naufrágio, os que chegaram nas primeiras missões de exploração, os condenados ao degredo e os que simplesmente decidiram ficar no Brasil por livre e espontânea vontade. Conhecer a história desses homens – vários deles casados com as filhas dos principais chefes indígenas, exercendo importante papel na tribo e intermediando o comércio com as potências européias – é indispensável para se entender os rumos do futuro país. Nessa galeria de personagens extraordinárias, figuras-chave na ocupação e colonização do Brasil, vamos encontrar, além do mitológico Caramuru e de João Ramalho, outros bem menos conhecidos, como o misterioso Bacharel de Cananéia, primeiro grande traficante de escravos do Brasil; o grumete Francisco del Puerto, que viveu 14 anos entre os nativos do Prata e depois traiu os europeus, ou o intrépido Aleixo Garcia, que em 1524 marchou de Santa Catarina, com um exército particular de dois mil índios, para atacar as cidades limítrofes do Império Inca. Ao resgatar o papel desempenhado por estes, que podemos considerar os primeiros brasileiros, Bueno ilumina as três décadas esquecidas de nossa história oficial, período em que, entre outros fatos de grande destaque, o Brasil adquiriu seu nome e serviu de modelo para ‘A Utopia’, de Thomas Morus.

Editora OBJETIVA.

200 páginas.

Tags:, ,

 
0

1808

Posted by admin on jan 16, 2011 in + BRASIL, + FAMÍLIA REAL, + HISTÓRIA, + LITERATURA, - BRASILEIRA

DISPONÍVEL

Livro de LAURENTINO GOMES.

Guerras napoleônicas, revoluções republicanas, escravidão formaram o caldo no qual se deu a mudança da corte portuguesa e sua instalação no Brasil.
O propósito deste maravilhoso livro, resultado de dez anos de investigação jornalística, é resgatar e contar de forma acessível a história da corte lusitana no Brasil e tentar devolver seus protagonistas à dimensão mais correta possível dos papéis que desempenharam duzentos anos atrás.
Escrito por um dos mais influentes jornalistas da atualidade, 1808 é o relato real e definitivo sobre um dos principais momentos da história brasileira.

Editora PLANETA.

414 páginas.

Tags:,

 
0

TUDO MUDA: TODO MUNDO, O MUNDO TODO.

Posted by admin on jan 15, 2011 in + ARTE, + BRASIL, + INFANTO-JUVENIL, + LITERATURA, + MODERNISMO, - BRASILEIRA

DISPONÍVEL

Livro de TEREZA YAMASHITA & LUIZ BRAS, a partir da obra de ALDEMIR MARTINS.

“Você já reparou no mundo? Já reparou em tudo o que há no mundo? Já reparou nas pessoas, nos bichos, nas árvores, no céu? Então responda: no mundo, o que é que muda de cor, forma e tamanho de uma hora pra outra? Esta é a pergunta matreira que, neste livro, um professor muito alegre e serelepe faz pra sua classe. Se ainda não sabe a resposta, então venha participar desta brincadeira”.
É assim que Tereza Yamashita e Luiz Bras convidam as crianças para a leitura do livro Tudo muda: todo mundo, o mundo todo, uma obra que mistura o melhor da literatura infantil com a arte brasileira, com o intuito de divertir e ao mesmo tempo difundir a obra de um dos pintores mais conhecidos do Brasil. O pintor cearense Aldemir Martins (1922-2006) foi a principal inspiração dos autores para a criação desta publicação.
A partir de uma brincadeira de O que é, o que é?, a história se desenrola, e é um passeio em cima de temas recorrentes na obra do artista, como bichos, árvores, flores, cangaceiros e rendeiras. São 16 reproduções coloridas provenientes das melhores coleções particulares do Brasil.
Tudo muda: todo mundo, o mundo todo é um lançamento da Pinakotheke, editora especializada em publicações voltadas para a história da arte no Brasil.

Editora PINAKOTHEKE.

24 páginas.

Tags:, , ,

 
0

CORES E FORMAS – A SEGUNDA METADE DO SÉCULO XX

DISPONÍVEL

Livro de NEREIDE SCHILARO SANTA ROSA.

A autora, Nereide Schilaro Santa Rosa, escreve especialmente para o público infanto-juvenil sobre os fatos mais marcantes da arte brasileira, e assim mostra, em linguagem clara, a evolução da cultura artística no país. Na coleção, editada em seis volumes, apresenta a obra dos artistas viajantes pelo Brasil entre os séculos XVII e XIX. A Academia Imperial de Belas Artes e os maiores artistas do século XIX; o Modermismo e o nascimento de um movimento genuinamente brasileiro; a grandeza do Abstracionismo; o requinte da arte barroca em nosso país e a importância da arte popular brasileira para o conhecimento da nossa cultura.

Editora PINAKOTHEKE.

31 páginas.

Tags:,

 
0

CIDADES E FLORESTAS – OS ARTISTAS VIAJANTES ENTRE OS SÉCULOS XVII E XIX

DISPONÍVEL

Livro de NEREIDE SCHILARO SANTA ROSA.

A autora, Nereide Schilaro Santa Rosa, escreve especialmente para o público infanto-juvenil sobre os fatos mais marcantes da arte brasileira, e assim mostra, em linguagem clara, a evolução da cultura artística no país. Na coleção, editada em seis volumes, apresenta a obra dos artistas viajantes pelo Brasil entre os séculos XVII e XIX. A Academia Imperial de Belas Artes e os maiores artistas do século XIX; o Modermismo e o nascimento de um movimento genuinamente brasileiro; a grandeza do Abstracionismo; o requinte da arte barroca em nosso país e a importância da arte popular brasileira para o conhecimento da nossa cultura.

Editora PINAKOTHEKE.

31 páginas.

Tags:,

 
0

SONHOS E REALIDADE – A PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX

DISPONÍVEL

Livro de NEREIDE SCHILARO SANTA ROSA.

A autora, Nereide Schilaro Santa Rosa, escreve especialmente para o público infanto-juvenil sobre os fatos mais marcantes da arte brasileira, e assim mostra, em linguagem clara, a evolução da cultura artística no país. Na coleção, editada em seis volumes, apresenta a obra dos artistas viajantes pelo Brasil entre os séculos XVII e XIX. A Academia Imperial de Belas Artes e os maiores artistas do século XIX; o Modermismo e o nascimento de um movimento genuinamente brasileiro; a grandeza do Abstracionismo; o requinte da arte barroca em nosso país e a importância da arte popular brasileira para o conhecimento da nossa cultura.

Editora PINAKOTHEKE.

31 páginas.

Tags:,