0

ANTOLOGIA POÉTICA – POESIA LIVRE – CONCURSO NACIONAL 2013

Posted by admin on mar 15, 2014 in + LITERATURA, - BRASILEIRA, - POEMA
SAM_4169

DISPONÍVEL

Livro Organizado e Apresentado por ISAAC ALMEIDA RAMOS.

O Concurso Nacional Novos Poetas, Prêmio Poesia Livre, em sua edição 2013, é o resultado da união de esforços. O intercâmbio de pessoas unidas numa mesma sintonia, a poesia. Uma valiosa obra que é mais que uma Antologia Poética, é o registro do momento fecundo em que vive a poesia brasileira. Poesia diversa e livre, sem rótulos ou censuras. Poesia legítima como deve ser, a diversidade da poesia, a diversidade do homem. Na obra, a reunião criteriosa de poesias, seleção orientada pelos princípios da originalidade e linguagem poética. A maioridade da poesia brasileira, Antologia Poética, Prêmio Poesia Livre 2013. Na poesia coletiva, a surpresa da nova poesia, os sentimentos de inquietação, o encontro do eu, a ausência do outro, pedaços do poeta. Sentimentos em exposição. Nos é permitida a contemplação da vida do homem, as gentes, a gana a seriedade. As temáticas variam, as formas variam, mas encontram o mesmo quilate em sentimentos. Ora aliada, ora inimiga, a poesia se contrapõe, numa ganga material onde formam-se as ideias e cada uma delas tem dupla face.

Editora VIVARA.

337 páginas.

 
0

EU, ALEX CROSS

Posted by admin on mar 9, 2014 in + FICÇÃO, + LITERATURA, + SUSPENSE
SAM_4153

DISPONÍVEL

Livro de JAMES PATTERSON. Tradução de FABIANO MORAIS.

Alex Cross está comemorando o aniversário com a família e os amigos quando toca o telefone. Seria apenas mais uma ligação inconveniente de trabalho não fosse a notícia bombástica: Caroline Cross, sobrinha do detetive, foi brutalmente assassinada.

Com o apoio de sua namorada, a detetive Brianna Stone, Cross se lança às investigações, determinado a encontrar e punir os responsáveis pela morte da sobrinha. A primeira coisa que ele descobre é desconcertante. Caroline trabalhava como garota de programa.

Logo Cross fica sabendo que outras moças e rapazes envolvidos com prostituição também estão desaparecidos. Em meio aos pertences de um deles, o detetive encontra sequências de letras anotadas, todas muito parecidas. Ele decifra o código e percebe que as sequências revelam números de telefone de pessoas famosas e poderosas.

É assim que chega a Blacksmith Farms, um clube privativo de altíssimo luxo na Virgínia. Um dos clientes mais assíduos é um misterioso homem conhecido apenas como Zeus. Ele mantém exclusivamente para si a suíte VIP do clube, que custa a partir de 20 mil dólares a diária. Quem poderia bancar um luxo daqueles?

Quando é convocado a contar tudo que sabe a um dos principais agentes do Serviço Secreto, o detetive começa a desconfiar que está envolvido em algo muito maior do que havia imaginado.

Cross terá que trabalhar sozinho e às escondidas para encontrar os assassinos de sua sobrinha e evitar que um grande caso de acobertamento impeça que seja feita justiça.

Editora ARQUEIRO.

222 páginas.

 
0

SANTOS E CANALHAS – UMA ANÁLISE ANTROPOLÓGICA DA OBRA DE NELSON RODRIGUES

SAM_4152

DISPONÍVEL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Livro de ADRIANA FACINA.

SANTOS  CANALHAS é um instigante livro sobre o Brasil. A partir da obra de Nelson Rodrigues, particularmente do teatro, Adriana Facina realizou fascinante pesquisa, em que focaliza, nas peças do autor, entre outros temas, as problemáticas da cidade e da família. Para isso, mergulhou no universo rodriguiano, fez entrevistas e assenhorou-se de quase tudo do que já foi escrito sobre esse grande escritor. Mostra como, ao lidar com transgressões, tabus e desvios, Nelson Rodrigues tornou-se foco de polêmicas, às vezes, bastante violentas. Assim, Adriana preocupa-se em localizar Nelson Rodrigues no campo intelectual de sua época sem reduzir o significado de sua obra a explicações sociológicas mecânicas e lineares.

A autora, no desenvolvimento de seu trabalho, analisa a visão de Nelson Rodrigues sobre a cidade, particularmente do Rio de Janeiro. Trata-se de uma efetiva contribuição à Antropologia Urbana, apresentando as trilhas, áreas e mapas significativos na obra examinada. No que toca à temática de família e parentesco, faz aproximações entre o teatrólogo e o seu conterrâneo Gilberto Freyre. Essa aproximação entre os dois escritores, um através de seu teatro e o outro através de seu teatro e o outro através de sua sociologia, constitui uma contribuição rica e original para a história da literatura e do pensamento social brasileiro. A questão do incesto, sem dúvida, é um dos focos centrais da temática mais ampla, iluminando as complexas relações entre gerações e gêneros.

Certamente, um dos aspectos mais fascinantes a obra de Nelson Rodrigues, em particular do seu teatro, é o que se relaciona à natureza do mal e do pecado. Adriana Fascina aponta não só para isso como desenvolve uma reflexão importante, mostrando a dimensão Romântica e suas dramáticas ambiguidades em relação à temática amorosa presente, de modo marcante, nas peças examinadas. Com isso, além de situar Nelson Rodrigues dentro do panorama da cultura brasileira, constrói pontes para uma problemática mais universal e abrangente.

Portanto, SANTOS E CANALHAS é um livro de interesse não só para os rodriguianos mas para todos os leitores preocupados com as complexas relações entre Literatura e Sociedade e com uma Antropologia das Sociedades Complexas.

Editora CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA.

332 páginas.

 
0

AS CRÔNICAS DE NÁRNIA – VOLUME ÚNICO

Posted by admin on mar 9, 2014 in + FANTASIA, + INFANTO-JUVENIL, + LITERATURA, + MARAVILHOSO, - JUVENIL
SAM_4151

DISPONÍVEL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Livro de C. S. LEWIS. Tradução de PAULO MENDES CAMPOS e SILÊDA STEUERNAGEL (A Última Batalha). Revisão da Tradução SILVANA VIEIRA.

Viagens ao fim do mundo, criaturas fantásticas e batalhas épicas entre o bem e o mal – o que mais um leitor poderia querer de um livro? O livro que tem tudo isso é O Leão, a Feiticeira e o guarda-roupa, escrito em 1949 por Clive Staples Lewis. Mas Lewis não parou por aí. Seis outros livros vieram depois, e, juntos, ficaram conhecidos como As Crônicas de Nárnia.

Nos últimos cinquenta anos, As Crônicas de Nárnia transcenderam o gênero da fantasia para se tornar parte do cânone da literatura clássica. Cada um dos sete livros é uma obra-prima, atraindo o leitor para um mundo em que a magia encontra a realidade, e o resultado é o mundo ficcional que tem fascinado gerações.

Esta edição apresenta todas as sete crônicas integralmente, num único volume magnífico. Os livros são apresentados de acordo com a ordem de preferência de Lewis, cada capítulo com uma ilustração do artista original, Pauline Baynes. Enganosamente simples e diretas, As Crônicas de Nárnia continuam cativando os leitores com aventuras, personagens e fatos que falam a pessoas de todas as idades, mesmo cinquenta anos após terem sido publicadas pela primeira vez.

Editora MARTINS FONTES.

751 páginas.

 
0

TURMA DA MÔNICA EM CONTOS DE ANDERSEN, GRIMM E PERRAULT

SAM_4150

DISPONÍVEL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Livro de MAURÍCIO DE SOUZA. Adaptação de texto ROBSON BARRETO DE LACERDA.

Neste livro, Maurício de Souza junta toda Turma da Mônica para participar das histórias contadas por Andersen, como: O Patinho Feio, O Soldadinho de Chumbo; das histórias de Grimm, como: Branca de Neve, João e Maria, além dos contos de Perrault, como: O Pequeno Polegar, Rapunzel, dentre outras.

São 14 contos, 100% ilustrados, mostrando como cada amiguinho da Turma consegue se sair em cada história.

Editora GIRASSOL.

236 páginas.

 
0

O DIA DA CORUJA

Posted by admin on mar 7, 2014 in + FICÇÃO, + LITERATURA, - ITALIANA
SAM_4144

DISPONÍVEL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Livro de LEONARDO SCIASCIA. Tradução de ELIANA AGUIAR.

Um homem vestido com roupas escuras caminha pela praça central de um vilarejo siciliano. Antes de embarcar num ônibus é fulminado com dois tiros de espingarda.

Apesar de o crime ter sido cometido à luz do dia, é como se ninguém tivesse visto nada; as testemunhas se recusam a depor e, ao menor sinal da polícia, desaparecem.

Mas o capitão Bellodi, transferido da Itália continental para a Sicília, está disposto a descobrir o verdadeiro culpado pelo assassinato. E se vê  numa investigação cada vez mais perigosa, que o coloca no enlaço de políticos poderosos, dispostos a tudo para fazer valer suas próprias leis.

Baseado em fatos reais – a morte de um sindicalista comunista em janeiro de 1947 -, O dia da coruja permanece como um dos livros mais emblemáticos e impactantes sobre a máfia siciliana.

Editora OBJETIVA.

130 páginas.

 
0

CONTOS DE RÉIS

Posted by admin on mar 7, 2014 in + LITERATURA, - BRASILEIRA, - CONTOS
SAM_4143

DISPONÍVEL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Livro de ROBERTO SATURNINO BRAGA.

“O encanto e a graça atributos próprios da existência, estão sempre a permear nossas vidas, cultivando, fecundando, e criando prazeres, para o mais puro deleite que possa ser ofertado para nós, pobres mortais.

Em Contos de réis , dadiva ofertada pelo mestre Saturnino, nos envolvemos de tal maneira que temos a sensação de ser, também, um personagem dos contos.

Não só a sensação, mas acima de tudo a emoção, que aumenta a medida do desenrolar das histórias, fazendo refluir com a mais pura honestidade nossos sentimentos que, ao reviverem o tempo, trazem momentos da surpresa, de alegria, de tensão, de reflexão, de desalento, e também de afloramento do amor, da ternura, do afeto… sem tempo perdido, mas todo tempo ganho.

Tecendo cuidadosamente o enredo de cada tema abordado e bordado, se vê em cada ponto alinhavado a sensibilidade aguçada de Saturnino, sua enorme riqueza no aprimoramento dos detalhes das tramas construídas e no arremate primoroso que leva ao gozo no desfecho.

A perspicácia no descrever dos personagens se dá de tal modo que permite não só visualizarmos todos eles em sua inteireza, como também compartilhamos de sua intimidade, encontrando o conhecido e o surpreendente nos relatos dessas vidas, numa mostra clara de afirmação do talento do autor.

O Rio de Janeiro é cenário contante. Ora como em décadas passadas, em que suas ruas-espaços tinham o seu uso e ocupação entregues à meninada, como concessão do direito de usufruto, com as janelas das casa como escotilhas, que permitem olhar profundo nas observações curiosas da vizinhança.

Ora na sua volúpia de cidade grande, palco de amores e dissabores.

As imagens captadas das vivências de seus moradores trazem, para quem conhece a cidade e nela viveu, a impressão de que, de repente, numa esquina, vai esbarrar com Saturnino, espiando e aprendendo tudo, quase um Palomar de Ítalo Calvino, um telescópio com sua objetiva ajustada e ofuscada e focada nas ruas da Cidade Maravilhosa.

Nessas lentes, um verdadeiro tesouro registrado se abre em revelações recriadas do autor, que tem a propriedade de nos levar com imponência e leveza ao prazer da descoberta de nossa própria essência.

Foi muito bom em Contos de réis sentir que devemos viver o presente sem pressa e criar um futuro deliciosamente cheio de esperanças, e mais ainda, esperando o próximo livro de Saturnino. Por enquanto, muito obrigado pelo tempo desfrutado lendo Conto de réis.” ELIOMAR COELHO

Editora RECORD.

270 PÁGINAS.

 
0

O ROTEIRISTA – UMA FÁBULA VULGAR

Posted by admin on mar 7, 2014 in + FICÇÃO, + LITERATURA, - BRASILEIRA
SAM_4142

DISPONÍVEL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Livro de VINÍCIUS PINHEIRO.

Por um lado, Franco é a personificação do fracasso. Ele é jovem, mas não tem perspectivas. É culto, mas não tem grana. Mora com a namorada, mas só consegue ser fiel a si próprio. Jurou jamais assistir a filmes americanos, mas é incapaz até mesmo de cumprir uma promessa estúpida como essa. Ele estuda cinema, mas é balconista numa farmácia. Só que tem o outro lado.

Franco é também uma lenda viva na faculdade de cinema onde estuda, invejado pelos alunos e admirado pelos professores, apesar de seus desempenho medíocre. Como isso é possível? Muito simples: ele é autor do Roteiro, a obra-prima visionária que vai revolucionar o cinema com inovações narrativas nunca antes imaginadas. Todos querem participar do projeto. A universidade até se dispõe de financiar o filme. franco se torna uma celebridade local por conta disso. Não há quem duvide do êxito internacional e histórico que o longa-metragem terá. O único problema é: ninguém nunca viu o tal Roteiro.

A trama por trás de O ROTEIRISTA é um grande engodo. afinal, é uma história sobre a história que não existe. E é justamente essa impossibilidade de criação que move os personagens, faz as situações se tornarem absurdas a ponto de o próprio leitor achar que está sendo ludibriado. E está mesmo. Vinícius Pinheiro quer isso e revela um humor refinado para desconstruir a cada capítulo os conflitos e anseios de mais uma geração perdida.

 
0

REFABULAR ESOPO

Posted by admin on mar 7, 2014 in + CRIATIVIDADE, + HUMOR, + LITERATURA, - FÁBULAS
SAM_4141

DISPONÍVEL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Livro de DONALDO SCHÜLER.

Sabe-se que a fábula tem a idade da fala. Surgida no Oriente, foi da Índia à China e à Pérsia, chegando à Grécia, no século IV a. C., graças a Esopo, que reinventou o gênero à luz do imaginário ocidental. Definida por La Fontaine como uma “pequena narrativa que, sob o véu da ficção, guarda uma moralidade”, e datada, segundo Fedro, da dupla finalidade de divertir e de aconselhar, ela atravessou os séculos com suas estórias protagonizadas por animais e seu tom sentencioso, tendendo ora ao proverbial, ora ao satírico. E por advir da tradição oral, nunca deixou de conter traços de oralidade, de confabulação.

A sabedoria que atravessa os contos / causos de Donaldo Schüler é sempre inquietante e provocativa. Desestabiliza preceitos cristalizados, “buliversa” a seriedade circunspecta dos moralistas com pitadas generosas de humor (nitidamente macunaímico), de sátira política e de uma ironia transversa. Um convite ao riso, ao siso sem juízo. Uma lição (sem sentença) de vida livre.

Editora LAMPARINA.

163 páginas.

 
0

O IRMÃO BOM

Posted by admin on mar 7, 2014 in + FICÇÃO, + LITERATURA
SAM_4140

DISPONÍVEL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Livro de CHRIS OFFUTT. Tradução de PAULO REIS.

A violência do submundo americano retratada na sombria jornada de O IRMÃO BOM, desde uma tragédia em Kentucky até uma catástrofe em Montana, num enredo diabolicamente bem-armado em que as tensões que varrem o país surgem em palavras exatas e humor rascante.

Com este primeiro romance, Chris Offutt supera a promessa de seus contos e memórias e cria uma obra comovente que o consagra como um insuperável contador de histórias.

Editora ROCCO.

335 páginas.